cine_SET_site

 

O ciclo de setembro do cineclube do .Aurora pergunta: Onde Jaz o teu cinema?

Importantes nomes do cinema investigam o trabalho dos diretores que os influenciaram. Win Wenders, Chris Marker, Pedro Costa e Sérgio Machado se debruçam, de diferentes maneiras, sobre o trabalho de Yasujirō Ozu, Alexandre Medvedkine, Danièle Huillet & Jean-Marie Straub e Mário Peixoto.

Programação:

01/09Tokio-Ga, de Wim Wenders (1985) – 92 min

08/09Elegia a Alexandre (Le Tombeau d’Alexandre), de Chris Marker (1993) – 120 min 15/09Onde Jaz o teu Sorriso?(Où gît votre sourire enfoui?), de Pedro Costa (2002) – 104 min 22/09Onde a Terra Acaba, de Sérgio Machado (2001) – 75 min

 

Tokio-Ga, de Wim Wenders (1985) – 92 min

O alemão Wim Wenders lança seu olhar sobre o Japão e relata suas impressões a partir da obra de Yasujiro Ozu. Neste seu “diário”, ele passeia pelo bizarro e se deixa seduzir pelo caráter do trabalho do cineasta: “Tão japoneses e ao mesmo tempo tão universais”. Um dos melhores momentos é a entrevista com Chishu Ryu (protagonista de vários filmes de Ozu) e outra com Yuharu Atsuta (que trabalhou exclusivamente com Ozu durante décadas). Os dois são modestos, inteligentes e simpáticos, mas Atsuta rouba a cena, descrevendo o estilo único e contemplativo do diretor, que fez 55 filmes desde os anos 20 até sua morte em dezembro de 1963. legendas em português

 

Elegia a Alexandre (Le Tombeau d’Alexandre), de Chris Marker (1993) – 120 min

Não é o passado que nos domina, mas imagens do passado. Partindo dessas palavras de Alexander Medvedkin (1900-1989), o francês Chris Marker realiza um tributo em forma de ensaio a este pioneiro do cinema russo, cuja vida e trajetória artística servem de ponto de partida para uma minuciosa investigação sobre o universo artístico, político e moral da Rússia no século XX, da Revolução de Outubro à derrocada da União Soviética. Utilizando trechos dos filmes de Medvedkin e de seus contemporâneos (nomes como Eisenstein, Vertov, Dovzhenko e Pudovkin), além de entrevistas com o próprio cineasta, Marker conduz com sua habitual verve crítica uma crônica sobre o papel do cinema como meio de comentário social e um exame profundo da destruição sistemática da criatividade artística pelas mãos da demagogia, do oportunismo político, e do controle e manipulação da informação no antigo estado comunista. Legendas em português

https://vimeo.com/82311807

 

Onde Jaz o teu Sorriso? (Où gît votre sourire enfoui?), de Pedro Costa (2002) – 104 min

O casal de cineastas Jean-Marie Straub e Danièle Huillet visto na intimidade, nos acertos e nos conflitos, durante a edição de seu filme Gente da Sicília. O trabalho logo se transforma em uma lição de cinema, filmada pela câmera atenta do diretor português Pedro Costa. O casal, conhecido por seu rigor, mescla teoria e prática, discorrendo sobre o árduo trabalho de composição das cenas e da montagem, que às vezes não está evidente para quem assiste ao resultado final. Legendas em português

 

Onde a Terra Acaba, de Sérgio Machado (2001) – 75 min

O documentário de Sérgio Machado procura fazer uma análise da vida, carreira e obra do cineasta Mário Peixoto (1908-1992). A base deste trabalho são trechos de diários, entrevistas e cartas do próprio Mário Peixoto, fotos de seus filmes e cenas inéditas de um filme inacabado do diretor. O título Onde a Terra Acaba é uma referência a um filme que Mário Peixoto pretendia rodar depois de finalizar as filmagens de Limite, mas que nunca foi feito devido a divergências do cineasta com a atriz e produtora Carmen Santos. Sérgio Machado procurou desenvolver o ritmo e a montagem de acordo com os padrões de Limite. O roteiro foi estruturado a partir de uma montagem de trechos de diários, entrevistas e cartas do próprio Mário Peixoto, dando ao documentário um estilo autobiográfico. Além de centenas de fotos, entrevistas exclusivas de Mário Peixoto e trechos de Limite, o filme apresenta preciosidades como um making of realizado pela própria equipe de Limite, fragmentos inéditos do único rolo de filme do inacabado Onde a Terra Acaba, depoimentos de cineastas e amigos que conviveram com Mário e momentos emocionantes como a visita da atriz Olga Breno ao set de filmagem de Limite. Original em português

Anúncios