PAPELETA é a primeira edição do Projeto Percurso que será realizado durante a última semana do mês de setembro de 2015.

Os encontros que integram este primeiro módulo estarão voltados ao estudo de diferentes formatos de publicações independentes e edições de artistas. Fabio Morais, Lígia Nobre, no rx Marta Ramos, Tobi Maier e ,Aurora são os orientadores convidados do PAPELETA, que terá a coordenação de Marcio Harum, curador de artes visuais do Centro Cultural São Paulo.

PercursoPAPELETA_flyer

O grupo de participantes (20 selecionados) terá como material para suas pesquisas aspectos de alguns temas que refletem as realizações e as linhas de investigação de seus orientadores, que ajudarão a elucidar pontos ou ainda abrir mais os argumentos deixados em suspensão ao longo dos encontros. Será reafirmado com a estrutura do módulo PAPELETA, um terreno dialógico, possibilitando o surgimento de alguns resultados editoriais instigantes.

Realização: ao longo da última semana de setembro de 2015. As datas e horários do evento serão confirmadas, por e-mail, em breve.

____________________________________

Lista de participantes:

Agradecemos desde já a todos pela inscrição e interesse!

1. ANA CARMOLINGA
2. ANA FRANCOTTI
3. ANA LUISA LIMA
4. ANDREI THOMAZ
5. BEATRIZ LEMOS
6. BRIGIDA CAMPBELL
7. BRUNO FARIA
8. CAMILA FIALHO
9. CHARLENE CABRAL
10. EWA PRIESTER
11. DANIELA AVELAR
12. FERNANDA PORTO
13. FREDERICO COSTA
14. GABRIELA BRESOLA
15. ICARO LIRA
16. ISADORA BRANT
17. JIMSON VILELA
18. JOSE VIANA
19. JULIA COELHO
20. JULIA ROCHA MELLO
21. LEONARDO ARAUJO
22. MAYRA FLAMINIO
23. PEDRO VIEIRA
24. RAFAELA JEMMENE
25. RULI MORETTI
26. SANZIA PINHEIRO
27. SILVANA BERALDO
28. TATIANA FERRAZ
29. VALQUIRIA PRATES

O critério de seleção foi apontar a excelência de conteúdo no preparo do envio da inscrição para a candidatura. A aplicação consensual deste critério foi o da unanimidade, instância esta também considerada pelos próprios orientadores/avaliadores [Marcio Harum, Fabio Morais, Ligia Nobre, Marta Ramos, Tobi Maier, Claudia Afonso, Julia Ayerbe e Laura Daviña]. O número de vagas, expandido devido a aptidão de tantos inscritos em relação a proposta de estrutura do programa, fez-se perceber pela confirmação de pesquisas e práticas editoriais postas em demonstração nas cartas de intenção por parte de alguns dos inscritos, e por tal razão, selecionados.

____________________________________
Conteúdo do Programa:

ENCONTRO 1 _ com Fabio Morais
(segunda-feira, dia 28 de setembro de 2015, das 17 às 22h)

Mais que uma coleção de livros e publicações de artistas, a Bacanas Books é uma pesquisa colecionista que influencia e informa a prática artística de Fabio Morais, norteada pelo interesse na escrita e na atividade editorial no campo das artes visuais. Ao longo dos últimos anos, o artista vem colecionando publicações cujas características se espelham de forma direta em sua obra, estabelecendo um processo de interlocução que naturalmente ocorreria através da pesquisa em acervos públicos voltados às publicações contemporâneas e às práticas conceituais recentes.
No encontro sobre a Bacanas Books, Fabio Morais apresentará a ideia de como sua coleção particular é uma espécie de mini-instituição-ateliê-biblioteca, uma oficina dotada das ferramentas com as quais são “manufaturados”, estética e conceitualmente, seus trabalhos. O artista apresentará um recorte deste acervo que o influencia e encoraja, pois é esta interlocução direta que infla o instinto colecionista e o olhar curatorial que constroem a coleção, fazendo dela, se não uma obra do artista, as margens que possibilitam-na.

Fabio Morais é artista visual escritor.

 

ENCONTRO 2 _ com Tobi Maier
(terça-feira, dia 29 de setembro de 2015, das 17 às 22h)

O encontro está baseado nas seguintes questões: Como publicações surgem de um trabalho curatorial e de pesquisa? Que tipos de publicações acompanham o curador durante a produção de exposições ou projetos site-specific? Como as mídias sociais tem mudado a circulação e a recepção critica da arte contemporânea? E hoje, como nos informamos sobre exposições no país e no exterior através de aplicativos como Instagram ou sites de internet como contemporary art daily, artforum.com? Quais são as possibilidade e limitações para o trabalho artístico dentro de um panorama que se apoia cada vez mais na documentação e circulação através das mídias digitais?
A partir do seu trabalho curatorial serão discutidas algumas publicações de artistas e mostras, bem como antologias de instituições e movimentos através de exemplos:

• Six Sites for Sound, London Musician’s Collective, London, 2005
• Lara Almarcegui, The Guide to the Wastelands of the Flushing River, Ludlow 38, New York, 2010
• The first 3 Years of Ludlow 38, Spector Books, Leipzig, 2011
• Programa de publicações da trigésima Bienal de São Paulo (http://www.emnomedosartistas.org.br/FBSP/pt/Documents/30bienal_publicacoes_release_pt.pdf + http://issuu.com/bienal/docs/30a_bienal-catalogo-miolo-pt-web
• OEI #60/61 Extra-disciplinary spaces and de-disciplinizing moments. In and out of the 30th Bienal de São Paulo, 2013
• Periódico Permanente #4, Forum Permanente, São Paulo, 2013 (http://www.forumpermanente.org/noticias/revista/4)
• The Second Sex – a visual footnote, La Galerie, Noisy-le-Sec, 2013
• Os trópicos, Centro Cultural Caixa, São Paulo, 2014
• OEI #66 poema/processo, 2014

Tobi Maier é critico de arte, curador, docente e editor, vive em São Paulo. Atuou como curador no Frankfurter Kunstverein (2006-2008) e no MINI / Goethe-Institut Curatorial Residencies Ludlow 38, em Nova Iorque (2008-2011). Foi curador associado da 30a Bienal de São Paulo (2011-2012). É mestre em Estudos Curatoriais pelo Royal College of Art, Londres, Reino Unido e doutorando em Poéticas Visuais (ECA-USP). Contribui para varias revistas de arte contemporânea. É co-fundador do espaço expositivo SOLO SHOWS em São Paulo.

 

ENCONTRO 3 _ com Marta Ramos-Yzquierdo
(quarta-feira, dia 30 de setembro de 2015, das 17 às 22h)

Com um mimeógrafo nas mãos. Fevereiro passado, em Madri, Felipe Ehrenberg propôs um desafio aos alunos de Belas Artes: “Não procurem desculpas, façam arte. Só precisam de uma fotocopiadora e amigos para distribuir a ideia”. Essa foi sua atitude ao comprar em um ferro velho de Londres a máquina de impressões Gestener 180, mimeógrafo alemão. A reprodução e distribuição de uma ideia foi sempre um fato que suscitou revoluções. A possibilidade de feitio barato e caseiro amplia a capacidade da infiltração. Isso foi compreendido por muitos artistas, especialmente no fim dos anos sessenta e décadas de setenta e oitenta na América Latina, onde as ditaduras cresciam e as liberdades cessavam. Sem limites entre textos e imagens, perto de poéticas concretas, figuras como as do próprio Ehrenberg, e também Ulises Carrión, Eduardo Vigo ou Clemente Padín são exemplos desta procura da edição livre, que almejava a quebra dos limites da política e do mercado. Esses artistas latino-americanos e suas obras serão o fio condutor do encontro para criar uma história de situações e lugares fora de eixos preestabelecidos.

Marta Ramos-Yzquierdo é formada em Historia de Arte pela Universidade Complutense, mestre em Gestão Cultural pelo Instituto Ortega y Gasset, ambos em Madri (Espanha). É diplomada em Comunicação Institucional pela Universidad de los Andes em Santiago do Chile. Sua trajetória começou na Espanha na Fundación Amigos del Museo del Prado, para depois continuar, entre 2001 e 2003, como editora e coordenadora do site masdearte.com, focado em artes visuais. Em 2009 no Brasil trabalha como diretora da Baró Galeria, e entre agosto 2012 e julho 2013 foi diretora no Pivô, sendo responsável pela estrutura inicial e lançamento do espaço independente no Edificio Copan. Escreve para as publicações Arte al día, artishock e a-desk.org.

 

ENCONTRO 4 _ com Ligia Nobre
(quinta-feira, dia 1 de outubro de 2015, das 17 às 22h)

As publicações da exo experimental org. (São Paulo, 2002-2007) – editadas em parcerias, como o livro de bolso A Partilha do Sensívelde Jacques Rancière (2005, com ed. 34), o catálogo a respeito de Situações Reais (2003, com Paço das Artes), a edição Guia do Copan de Pablo Leon de la Barra (2006, com pablo international magazine) – integraram o arquivo em curso como projetos iniciais de séries interrompidas com o término da plataforma. Neste encontro investigaremos particularmente dois projetos-publicações em colaboração com a exo –Trabalhando no Copan/Working at Copan (Sternberg Press, 2007), do artista Peter Friedl e Cosmograms de Melik Ohanian e Jean-Cristophe Royoux (Kristalle Company, 2005) – em ressonância com o livro da artista-teórica Maya Deren Divine Horsemen: The Living Gods of Haiti (1953/ McPherson,1985). Esses três projetos-publicações, de modos distintos, nos revelam os enfrentamentos desses artistas perante situações complexas, apontando para as relações entre imagem-representação e texto-narrativa, seus limites e potências.

Ligia Nobre é arquiteta, pesquisadora e curadora. Foi cofundadora e codiretora da plataforma exo experimental org. (2002-07), curadora adjunta da X Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013), cocuradora do projeto-exposição Mano Fato Mano (2014), dentre outros projetos. 

 

ENCONTRO 5 _ com Julia Ayerbe e Laura Daviña (,Aurora) + Steph Yates (Publication Studio Guelph)
(sexta-feira, dia 2 de outubro de 2015, das 17 às 22h)

Este quinto encontro será focado na prática de publicações e orientação de projetos. As organizadoras da editora da casa ,Aurora_Publication Studio São Paulo e a convidada Steph Yates contarão um pouco de seu percurso e experiência editorial e abordarão algumas questões e desafios de uma editora independente. Será também uma oportunidade para o público conhecer a nova plataforma de publicações Publication Studio sediada no .Aurora e trocar impressões sobre seus projetos pessoais.

Júlia Ayerbe é editora sênior da Pinacoteca do Estado de São Paulo desde 2010. Como editora independente realizou projetos com SP-Arte; Capacete, entre outros. Desde 2013 é parte da editora ,Aurora na qual coordena uma coleção de ensaios, que possui cinco títulos publicados

Laura Daviña é designer com formação em artes plásticas. Atuou como editora de arte na revista Pesquisa Fapesp e na SM Edições e em 2013 se juntou ao .Aurora, retomando sua produção e pesquisa independente em artes visuais e organizando a editora do espaço ,Aurora.

Steph Yates é artista, musicista e organizadora do Publication Studio em Guelph (Canadá). http://littleroomlabs.ca/. Está em São Paulo em residência a convite do Aurora e Lanchonete.org.

Anúncios